O DOM DE LÍNGUAS

O DOM DE LÍNGUAS

O Dom de Linguas

Uma oração oral contemplativa, para uma maior união com o Senhor

Robert Faricy

 

Em Nairobi, durante uma reunião de líderes do Renovamento  Carismático Católico de idioma Inglês , o líder da equipe de oração do Cairo virou-se para mim para que o aconselhasse sobre um problema: " Os muçulmanos  veem às reuniões do grupo e cantam em  línguas como nós. Eu disse-lhes para parar, porque eles não são cristãos e, portanto, não podem orar em línguas, mas eles continuam a fazer isso de qualquer maneira. Que devo fazer ? ".

 

DOM DIVINO

 

Sendo um dom divino, o dom de línguas não pertence apenas ao Renovamento Carismático ou à corrente Pentecostal cristã, mas para quem o recebe do Senhor, conforme o Espírito, que sopra onde quer. Na verdade, existem muitas pessoas que, apesar de nunca terem estado numa igreja pentecostal ou numa reunião de oração "carismática ", rotineiramente usam o dom de línguas, mesmo todos os dias, na sua oração pessoal .

 

O que é o dom de línguas? De onde vem?

É um carisma? Quais são seus benefícios? Como se pode receber?

 

O dom de línguas é uma forma de oração contemplativa.

Contemplação significa união com Deus, a-conceptual , sem palavras, uma união através do amor, em que adoro a Deus, louvo-O, amo-O, e vou até Ele sem palavras, pensamentos, ou ideias particulares.

 

Posso contemplar o Senhor em silêncio, "olhando-O " apenas, sabendo que Ele me olha com amor, compaixão e compreensão. Eu não preciso de conceitos, palavras ou pensamentos, posso pronunciar lentamente o nome de Jesus, no meu coração, ou repeti-lo a cada momento e, em seguida, uma frase como " Eu te amo, Jesus".

Muitas pessoas contemplam em silêncio durante a missa, a elevação do Corpo e do Sangue precioso do Senhor, ou durante a ação de graças depois da comunhão. E tudo isto pode ser feito sem orações ou pedidos, mas num silêncio interior profundo. Esta é a contemplação silenciosa em que conheço o Senhor com um conhecimento que vem do amor, a consciência que está no coração e não na cabeça. Conheço Deus através do amor: o meu para Ele e o Seu para mim. O meu conhecimento transcende pensamentos e palavras. Conhecer o Senhor e saber muito mais dele, do que através do estudo e da leitura. O autor desconhecido de A Nuvem do Desconhecimento chama contemplação o "ser um " com o Senhor.

Conheço o Senhor, estou unido a Ele numa "nuvem de desconhecimento " em relação ao meu intelecto, mas o meu coração conhece o Senhor.

 

O dom de línguas é uma contemplação "sonora ", uma oração contemplativa vocalizada. Ao falar ou cantar em línguas, uso sílabas que não significam pensamentos ou ideias, não representam um conceito particular, não têm um conteúdo específico. Quando eu uso o dom de línguas, eu balbucio, digo, canto sílabas sem sentido. Na oração em línguas, normalmente você não usa uma linguagem real. Estudiosos de línguas antigas e modernas gravaram algumas orações em línguas de milhares de pessoas e analisaram o que havia sido recolhido, mas não encontraram nenhuma estrutura idiomática, não só de línguas conhecidas, mas ainda de qualquer linguagem possível. É portanto, mais semelhante à dança ou à gestualidade.

 

DOM PARA CURAR

 

Como uma forma de contemplação, o dom de línguas, como toda a oração contemplativa, cura. A contemplação permite-me, de alguma forma, "penetrar" em Deus, não só para chegar à sua presença, mas para um maior conhecimento dele através do amor. O conhecimento do coração, por assim dizer, vai em direção ao Senhor, como uma flecha, atinge-O e "toca-O ". Um pouco como aconteceu com a mulher que estendeu a mão e tocou a orla do manto de Jesus; então o poder que emana de Deus, cura-me.

Há cerca de 13 anos atrás, quando eu recebi o dom de orar em línguas, eu costumava usá-lo um pouco a cada dia. Após o primeiro ano, eu percebi que tinha ocorrido em mim algumas curas notáveis, não só na minha vida espiritual, mas também na psíquica: pecava menos, e também me sentia menos tentado. O Senhor me sustentou, em muitos aspectos, emendando os trapos desgastados do meu ser. O dom de línguas ajudou a curar-me a partir de dentro, assim como a inúmeras pessoas.

 

As cartas de São Paulo podem-nos ajudar a entender melhor tal dom.

A partir da Primeira Carta aos Coríntios, mostra-nos que a Igreja tinha muitos problemas. Paulo escreve que ele não podia falar com os Coríntios como a seres espirituais, mas só como a carnais (ver 3.1). O ciúme e conflitos afligiam a comunidade. Entre os Coríntios não havia sequer um mínimo de unidade, alguns diziam que eram seguidores de Paulo, alguns de Apolo , e outros de Cefas (cf. 1Cor 1, 11-16 ; 3,3-23 ). Aparecem divididos em questões como discutir se as mulheres, na assembleia, deveriam ter a cabeça coberta ou não ( cf. ibid. 11:2-16 ), ofendem-se e enganam-se mutuamente, instituindo acções legais uns contra os outros (cf. ibid. 6 0,1-7) . A celebração da Ceia do Senhor tem lugar sem regras (ver ibid. 11.2 1). Eles também têm sérios problemas com o sexo (ibid. 5:1-13 ; 6,13-20 ) .

Os dons fizeram os Coríntios arrogantes, cheios do seu orgulho (4,6 cf. ibid., 4.18 , 5.2, 13.5) . O dom que eles mais precisam é o que parece mais faltar neles: o amor (cf. ibid 13. ). As assembleias de oração em Corinto são caóticas. Abundam as profecias em línguas, mas com pouca ou nenhuma interpretação e, às vezes duas ou mais pessoas estão profetizando em línguas simultaneamente. O dom de línguas que Paulo escreve no

capítulo 14 da Primeira Epístola aos Coríntios é o carisma da profecia em

línguas. Como todos os carismas , não é dado a todos, apenas a alguns, e o seu objetivo é edificar a comunidade (cf. ibid. 12) .

 

PORQUÊ ORAR EM LÍNGUAS

 

Não vamos tratar do carisma da profecia em línguas, mas do dom de línguas  que é usado no grupo de oração ou na oração pessoal . A ninguém se manifestam todos os carismas e nenhum carisma é comum a todos.

Se quisermos dizer que há uma exceção, é precisamente o dom de orar em línguas, que é oferecido a todos, assim como o carisma da fé, acessível a qualquer um (cf. 1Cor 12:9) – mas uma fé particularmente forte que possa mover montanhas – já é dada a poucos, assim como o carisma da profecia em línguas que é dado a relativamente poucas pessoas.

A carta aos Efésios diz, entre outras coisas: “enchei-vos do Espírito, falando entre vós com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando e louvando ao Senhor de todo o coração "( 5:18-19 ).

Sabemos o que são os salmos e os hinos. Mas os cânticos espirituais o que são? São cantar no Espírito, cantar em línguas juntos.

 

Por que deverei eu orar em línguas quando o posso fazer na minha língua nativa? Porque orar em línguas "ultrapassa " o orar em qualquer idioma, é um tipo de oração "superior", é uma oração contemplativa; porque o dom de línguas cura aqueles que o usam, porque é uma maneira fácil de orar e porque dá prazer ao Senhor.

Não se pode adquirir o dom de línguas: é dado pelo Senhor para aqueles que o pedem: é um dom do Espírito, e para recebê-lo é preciso entregar-se, render-se ao Espírito Santo. Como?

Basta ir a um lugar onde você possa estar sozinho, talvez ajoelhar-se, levantar as mãos e pedir ao Senhor o dom, e em seguida, fazer uma "rendição", um abandono ao Espírito e então começar dizendo ou cantando, para desbloquear, algumas sílabas sem sentido, como uma criança que balbucia para a sua mãe, e, finalmente, deixar fluir "palavras" e que o Espirito orientará .

É fáciI, se se olhar para Deus com os olhos da fé.

Se você quer cantar, será útil começar com uma nota inicial: então o Espírito dar-lhe-á outras.

 

Há outra maneira de obter do Senhor o dom de línguas: peça a alguém que já tenha este carisma, para orar consigo, a fim de lhe ser concedido, ou a orar em línguas sobre você. Às vezes, pode ser de grande ajuda no início, tentar imitar a linguagem de oração da pessoa com quem você reza; uma vez que tenha iniciado, rezará ou cantará sozinho.

 

DOM DE HUMILDADE

 

Pode acontecer que, orando em línguas, você pode, inicialmente, sentir-se idiota ou estúpido: isso depende apenas do grau do seu orgulho.

Não deixe o seu orgulho impedi-lo.

Mas como se pode saber de que se trata mesmo do dom de línguas?

Você pode ter a prova da seguinte maneira: você entendeu o que disse? Não. Você estava orando a Jesus? Sim.

Nada mais é necessário.

 

Não espere entender mais da utilidade do dom. Deixe que o Senhor opere: você está dizendo algo que não entende mas está dizendo-o a Deus.

 

É o Espírito em ti, que te dá o poder para fazê-lo, mas também é um ato humano que precisas de realizar. Portanto, é necessária a tua colaboração. Para receber o dom de línguas , não é necessário ser Pentecostal ou

"carismático ". Se os muçulmanos podem cantar em línguas no Cairo, não há nenhuma razão para que os cristãos não possam rezar ou cantar ao Senhor em línguas em todo o mundo.

 

Finalmente, este dom é muito usado no ministério pessoal, não só na oração de intercessão, mas também quando você orar por alguém para qualquer tipo de cura, pelas suas intenções ou para a libertação. Os pais podem orar em línguas pelos filhos, as mães grávidas pode colocar as mãos no seu colo e orar sobre a criatura que trazem.

Estas são apenas algumas das muitas maneiras de usar o dom de orar em línguas - um outro dom de amor que o Senhor nos oferece para nos atrair para mais perto dele.

 

(*) O Padre Robert Faricy SJ (1926) é um teólogo, sacerdote jesuíta, professor de Espiritualidade, sendo professor emérito na Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma. Com mais de 30 livros escritos, tem tido muitas actividades no RCC, tendo sido director espiritual do RCC italiano.

 

fonte: http://www.pneuma-rc.pt/index.php/viver-o-grupo-de-oracao/304-viver-grupo-oracao/835-o-dom-de-linguas