O RENOVAMENTO CARISMÁTICO

O RENOVAMENTO CARISMÁTICO

 

Já ouviu falar  do Renovamento Carismático?

Uma verdadeira obra do Espírito Santo, fruto do Vaticano II, que  germinou na Igreja Cató1ica em 1967, na Universidade Espiritana de Duquesne (USA).

Dali se propagou para todo o mundo.

Hoje, mais de cem milhões de Católicos vivem esta experiência pentecostal.

O Renovamento Carismático é o maior fenómeno religioso moderno, é uma explosão do Fogo Novo que Cristo lançou na terra é, no dizer de Paulo VI, “uma graça” extraordinária para a renovação da Igreja e do coração dos homens.

 

As linhas de força nos grupos do Renovamento Carismático

As reuniões de oração dos grupos do Renovamento Carismático são um retorno à es-pontaneidade das primeiras comunidades cristãs. Pelos dados que nos fornece o Novo Testamento, vemos que naquelas comunidades sobressaíam os seguintes elementos:

- Louvava-se e celebrava-se o Senhor com salmos e cantos inspirados (Ef 5,19).

- Proclamava-se a Palavra do Senhor e as testemunhas presentes contavam na reunião o que Jesus havia dito e feito (Col 3, 16-17).

- Celebrava-se a "fracção do pão" ou Ceia do Senhor.

- Tomavam o alimento com alegria e simplicidade de coração.

 

A reunião de oração de um grupo do Renovamento Carismático caracteriza-se por cinco linhas de força que o definem e distinguem:

 

1ª Presença de Jesus: Há uma tomada de consciência da presença do Senhor no meio do grupo, cumprindo a Sua promessa: "Onde estiverem dois ou três reunidos em Meu nome, aí estarei no meio deles" (Mt 18, 20). Presença, aliás, com todo o seu poder e o seu amor para curar, iluminar, fortalecer, falar e reconfortar. Esta é a chave da oração do grupo.

 

2ª Abertura ao Espírito Santo: Começa-se sempre invocando o Espírito, e cada membro, assim como todo o grupo, se abre à acção do Espírito que nos leva a experimentar e a sentirmo-nos como filhos de Deus, que nos introduz no mistério e conhecimento de Jesus Filho de Deus e derrama o Seu amor nos nossos corações (Rom 5, 5).

 

3ª Oração de Louvor: É a expressão de tudo o que o Senhor está a realizar em cada um e também no grupo ou na comunidade. Há uma verdadeira necessidade de cantar as maravilhas do Senhor, de louvá-LO, alegrar-nos e regozijar-nos com Ele. Predomina o louvor sobre os outros tipos de oração (petição, perdão, etc.). O louvor tem uma grande força para elevar de imediato o tom do grupo e torná-lo receptivo à acção do Espírito.

 

4ª Comunhão com o Espírito e com Jesus: Ao experimentar que também nos sentimos compenetrados com o Senhor e com os irmãos que participam na reunião, e que nos penetram as palavras e os sentimentos do Senhor. É quando o Senhor começa a construir o grupo e a comunidade, e percebemos como começamos a formar um só corpo com o Senhor e a sentirmo-nos membros uns dos outros, a compadecermo-nos deles, a amá-los: é um amor com o qual o Senhor inunda todo o grupo.

 

5ª Palavra de Deus: Sim, que "a palavra de Deus habite em vós com toda a sua riqueza" (Col 3,16): sente-se como palavra de vida, como mensagem de Deus acolhida com gozo e avidez, que dá alimento a toda a oração.

Aquele que dirige a oração deve estar sempre muito atento para que se mantenham sempre estas linhas de força durante toda a reunião. Se faltar alguma delas, é porque se está a desvirtuar a reunião.

fonte: http://www.pneuma-rc.pt/index.php/viver-o-grupo-de-oracao/304-viver-grupo-oracao/318-as-linhas-de-forca-nos-grupos-do-renovamento-carismatico